Pular para o conteúdo principal

Postagens

Postagem em destaque

A COSMOVISÃO TUPI

Postagens recentes

Prêmio Trip Transformadores apresenta - Kaká Werá

A Palavra e o Ser, na Cosmovisão Tupi-Guarani

ÍNDIOS E BRASILIA

De origem indígena, Kaká Werá é filiado ao Partido Verde há sete anos, secretário de políticas indígenas no partido, Kaká leciona desde 1998 na Universidade da Paz (UNIPAZ), instituição de ensino superior que tem sede em Brasília e possui núcleos em diversos estados do Brasil. O índio paulistano também é o fundador do Instituto Arapoty, voltado à difusão dos saberes indígenas por meio da educação e de saberes sociais, e faz parte da rede Ashoka de Empreendedores Sociais. Neste Dia do Índio Kaká concedeu a entrevista para o site do PV e falou sobre o atual momento pelo qual passam as etnias indígenas, o papel do Estado neste contexto e a importância de políticas e atitudes verdes na educação de novos saberes. Como você avalia, no recorte de direitos humanos, a situação de indígenas, na atualidade, sob a pressão de grandes obras de infraestrutura, como hidrelétricas, e Projetos de Lei e ações governamentais de diminuição de terras indígenas? Kaká Werá: A pressão de grandes obras de infrae…

CURSO: O SONHO COMO UM SISTEMA DE AUTOCONHECIMENTO

Neste momento de crise social e de transformação planetária muitos de nós abandonamos o poder de ousar sonhar novas realidades, realizações e possibilidades. Este módulo de quatro encontros tem como proposta apresentar um conhecimento e um sistema de práticas sobre os estados de sono, sonho e vigília que tem sua origem em sabedorias ancestrais. Passamos um terço de nossas vidas dormindo. No entanto podemos usar este estado á nosso favor e de várias maneiras. Podemos utilizar o sonho para nos curar, para liberar obstáculos inconscientes que travam o fluxo de nossas vidas, e também para nos conhecermos melhor e mais profundamente. Algumas culturas indígenas do Brasil obtiveram grandes conhecimentos através do domínio dos sonhos. O budismo tibetano desenvolveu um complexo sistema meditativo utilizando o sonho como uma estratégia para o autoconhecimento, auto-liderança e iluminação Programa: ·Os três estados da consciência: inconsciente, consciente e supra-consciente     segundo os Kahuna e a…

ÍNDIO É PROGRESSO

Da época da colonização para os tempos atuais de certa forma ocorreu uma evolução no relacionamento da sociedade para com os povos indígenas. No início foram escravizados. Pouco mais de um século depois, com o advento da escravização africana foram perseguidos para serem mortos por serem considerado “estorvo” para os caçadores de tesouro. Com o tempo, foi-se caipirizando e caboclando os remanescentes das mais diversas etnias e apagadas suas memórias ancestrais.   Somente na metade do século XX é que começou a haver um interesse mais humanista pela diversidade étnica brasileira, que coincidiu com o delineamento da democracia nos anos 80, colaborando  também para surgir um movimento de cidadania indígena e revitalização de suas lutas históricas. No passado foram as chamadas “bandeiras” que destituíram milhares de comunidades de suas tradições e modo de ser. Atualmente  a pressão de grandes obras de infraestrutura em locais que por direito é destinado á povos indígenas ou á preservação amb…

OLHAR PARA DENTRO

estamos cada vez mais sujeitos ás influencias das mídias, dos preconceitos, dos lugares comuns, dos estereótipos que nos vestem. Somos bombardeados diariamente por modelos cujos propósito maior é o consumo pelo consumo. Modelos de tamanho, de peso, de cor, de satisfação, de pensamentos.
Ou seja, a vida moderna é contra a individualidade, a originalidade, a diversidade de habilidades e possibilidades. Mas a natureza ensina que é justamente as originalidades e diversidades de formas, tons, aromas, frutos que geram a verdadeira prosperidade e o equilíbrio em todos os sentidos. Por isso é necessário estarmos atentos á nós mesmos. Nossos modelos internos. Nossos parâmetros internos. Nossos paradigmas. Por isso é necessário fecharmos os olhos para fora e abrirmos o olhar interior e tocar mais detidamente a nossa essência e seu potencial, sua vontade, suas habilidades. Isto é gerar liberdade. Aquela liberdade que não castra a liberdade do outro, mas contribui para a interação das múltiplas …