Pular para o conteúdo principal

Xamanismo no Brasil

Embora o Brasil possua uma das maiores diversidades culturais do planeta, e estas por sua vez apresentam uma diversidade ainda maior em relação ao sagrado, á cosmovisões, , á filosofias espirituais ancestrais; quando se menciona a palavra xamanismo se associa diretamente á algumas informações e referências da cultura norte-americana.
A década de noventa foi uma época de crescimento de influência de técnicas e informações superficiais do que uma determinada literatura convencionou chamar de "medicina indígena", que passou a influenciar leigos e especialistas nas áreas da psicologia e de estudos da alma humana.
Muitos instrutores destas técnicas pouco conhecem sobre a história, a cultura, os valores, as questões sociais destes povos ao qual importaram fragmentos de sua ciência, mas aplicam-nas fazendo suas próprias teorias e conceitos, quando o fazem, sobre o tema.
O uso das plantas de poder, os cantos e batidas de tambor, a chamada sauna sagrada, viraram práticas daqueles que passaram a incorporar o xamanismo em suas atividades terapeuticas.
Mas nem só de ervas de poder, alucinógenos, batidas de tambor, vive o xamanismo. Uma das culturas mais antigas deste lado da América, a tradição tupy-guarani, não se utiliza de nenhum destes recursos nas suas práticas de cura e de busca de transcendência.
E o que elas utilizam então?
A tradição tupy-guarani acredita que o ser humano é uma "palavra-habitada", (é este o significado esotérico do termo tu-py) e o sentido mais profundo desta designação diz respeito á essência vibracional e luminosa que provê o corpo humano a qual é chamada também de consciência. Esta por sua vez manifesta-se através dos pensamentos e dos sons que emitimos quando falamos. Portando, um som tem o poder de criar, de curar, de transformar, de ferir, etc...; assim sendo, a tradição tupy-guarani desenvolveu técnicas de cura utilizando-se de cantos, emissão de sons, palavras sagradas, e sobretudo atentando para a responsabilidade que paira sobre todo cidadão humano desde o momento em que ele emite o primeiro pensamento.
A cultura ancestral tupy-guarani, neste sentido, diz que a saúde humana está diretamente ligada á qualidade de seus pensamentos, de seus sentimentos, e de suas ações.



3 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

ÍNDIO É PROGRESSO

Da época da colonização para os tempos atuais de certa forma ocorreu uma evolução no relacionamento da sociedade para com os povos indígenas. No início foram escravizados. Pouco mais de um século depois, com o advento da escravização africana foram perseguidos para serem mortos por serem considerado “estorvo” para os caçadores de tesouro. Com o tempo, foi-se caipirizando e caboclando os remanescentes das mais diversas etnias e apagadas suas memórias ancestrais.   Somente na metade do século XX é que começou a haver um interesse mais humanista pela diversidade étnica brasileira, que coincidiu com o delineamento da democracia nos anos 80, colaborando  também para surgir um movimento de cidadania indígena e revitalização de suas lutas históricas. No passado foram as chamadas “bandeiras” que destituíram milhares de comunidades de suas tradições e modo de ser. Atualmente  a pressão de grandes obras de infraestrutura em locais que por direito é destinado á povos indígenas ou á preservação amb…