Pular para o conteúdo principal

O Grande ritual da vida

FOTO: SAWARA S. SANTOS
O aprendiz perguntou ao velho Pajé qual o ritual mais poderoso, qual o grande ritual que poderia trazer benefícios para toda a vida, e qual seria aquele que daria o poder de vencer inimigos.
O Velho Pajé acendeu o fogo no chão e jogou umas folhas secas que exalaram um perfume prazeroso e tranquilizador.
O chão de terra batida e limpo da oca promovia o sagrado do clima.
A luz do fogo clareou o ambiente, era um momento âmbar, quase dourado.
O Velho Pajé olhou para a ansiedade do jovem:
- Pequeno caminhante, antes de mais nada, um ritual é um diálogo que se realiza com o espírito da tempo, o espírito do espaço e o espírito das intenções que se promove. Toda intenção perversa, maledicente, vingativa, caluniadora, e outras procedências ruins, não possuem o verdadeiro poder. Além disso, um ritual pode se transformar em um hábito, uma crença, ou uma tradição. Ou seja, pode se transformar em uma ação contínua e degradante, se for mal intencionado.
- Então não existe ritual poderoso!
- Sim, existe. o ritual mais poderoso é o de poder ajudar alguém a se re-erguer nos momentos de debilidade ou desarmonia. E isto só é possível com um coração preenchido da compaixão, do amor incondicional, e da sabedoria para orientar de acordo com a necessidade e a possibilidade de cada momento. este é o grande ritual da vida!

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

ÍNDIO É PROGRESSO

Da época da colonização para os tempos atuais de certa forma ocorreu uma evolução no relacionamento da sociedade para com os povos indígenas. No início foram escravizados. Pouco mais de um século depois, com o advento da escravização africana foram perseguidos para serem mortos por serem considerado “estorvo” para os caçadores de tesouro. Com o tempo, foi-se caipirizando e caboclando os remanescentes das mais diversas etnias e apagadas suas memórias ancestrais.   Somente na metade do século XX é que começou a haver um interesse mais humanista pela diversidade étnica brasileira, que coincidiu com o delineamento da democracia nos anos 80, colaborando  também para surgir um movimento de cidadania indígena e revitalização de suas lutas históricas. No passado foram as chamadas “bandeiras” que destituíram milhares de comunidades de suas tradições e modo de ser. Atualmente  a pressão de grandes obras de infraestrutura em locais que por direito é destinado á povos indígenas ou á preservação amb…