Pular para o conteúdo principal

A Floresta está nervosa

Os rios que serpenteiam o xingú, terra dos deuses ancestrais estão nervosos,inquietos, assim como pequenos seres, milhares deles, minúsculos e inovensivos insetos, vibram a energia do medo.
O vento sopra um ar de tensão nas folhas das copas das árvores e elas reverberam.
Milhares de olhos de animais miram o céu e seus faros buscam no chão da terra respostas.
Um berçario de infinitas vidas futuras, ao longo de mais rios e matas, teme uma brusca interrupção de sua tarefa silenciosa e divina!
Povos estão nervosos! Famílias estão apreensivas! Caciques aguçam seus discursos!
Quanto custará o fim do Belo Monte?
A quem servirá verdadeiramente o projeto?
Por acaso não existe alternativas mais economicas e mais eficientes?
Os pássaros fazem estas perguntas e voam.
Buscam respostas.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

ÍNDIO É PROGRESSO

Da época da colonização para os tempos atuais de certa forma ocorreu uma evolução no relacionamento da sociedade para com os povos indígenas. No início foram escravizados. Pouco mais de um século depois, com o advento da escravização africana foram perseguidos para serem mortos por serem considerado “estorvo” para os caçadores de tesouro. Com o tempo, foi-se caipirizando e caboclando os remanescentes das mais diversas etnias e apagadas suas memórias ancestrais.   Somente na metade do século XX é que começou a haver um interesse mais humanista pela diversidade étnica brasileira, que coincidiu com o delineamento da democracia nos anos 80, colaborando  também para surgir um movimento de cidadania indígena e revitalização de suas lutas históricas. No passado foram as chamadas “bandeiras” que destituíram milhares de comunidades de suas tradições e modo de ser. Atualmente  a pressão de grandes obras de infraestrutura em locais que por direito é destinado á povos indígenas ou á preservação amb…