Pular para o conteúdo principal

Florianópolis

a Ilha de Florianópolis foi o lugar em que habitaram os Carijós, povo do tronco tupi-guarani, e que denominava a ilha de Meiembipe. Os Carijós já eram remanescentes dos antigos tupy, em épocas remotas em que seguiam o caminho do peabiru, que seguia em direção ao sul, indo parar na atual Argentina, e de lá para o Paraguai, que também foi um grande centro de encontrso das culturas ancestrais das épocas pré-brasílicas.
Os Carijós viviam no paraíso na terra, nesta época, pois esta ilha eram um das tantas "terra sem males" que haviam por aqui antigamente. Depois do século XVI, passaram a fugir de caçadpres de escravos, chamados bugreiros, que os perseguiam para ganhar dinheiro. Tais caçadores cortavam-lhes as orelhas e as levavam como condição para receberem o pagamento.
So9mente muito tempo depois é que chegaram os açorianos, cujos descendentes ficaram sendo chamados de "manézinhos da ilha"
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A espiritualidade da natureza

A espiritualidade não é um movimento e nem uma ideologia. Não é uma teoria criada por alguém. Também não é privilégio de alguns. Embora não seja reconhecida por inúmeras pessoas.  A espiritualidade é um princípio universal que está na base da sabedoria humana. Ao longo da presença de diversas culturas pelo mundo desde épocas imemoriais ela tem estado presente em sistemas de conhecimento, filosofias, cosmovisões, memórias, etc. A mais antiga noção de espírito e de espiritualidade vem da natureza. Ela foi e é a inspiradora do reconhecimento e do desvendamento do mistério que somos. Nesse sentido as culturas que se formaram com laços fortemente traçados com a natureza desenvolveram uma espiritualidade e uma visão de espirito de extrema poesia e integração. Uma das culturas que se expressou de um modo agudo e profundo essa relação do espírito com a natureza foi a tradição tupi. Umas das mais antigas raízes culturais do Brasil.  A tradição tupi tem mais de 12.000 anos de presença na face …

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena