Pular para o conteúdo principal

Caros Amigos

Saudações.



Todos os dias, de norte a sul e de leste a oeste, deparamos com as mais variadas violências praticadas contra os povos originários do Brasil. Estradas cortam as reservas e promovem a invasão bárbara com todos os tipos de aventureiros. Hidrelétricas inundam as terras e matam o sustento natural. O desenvolvimentismo a qualquer preço cuida do econômico e não se importa com o humano. O agronegócio grila as terras indígenas e mantém a posse com jagunços e a conivência das autoridades. O quadro geral é de genocídio e de resistência. Os povos indígenas do Brasil tentam sobreviver diante de tanta adversidade; tentam resgatar a dignidade diante de inimigos poderosos. O seu presente está ameaçado.



Com a Edição Especial GENOCÍDIO E RESISTÊNCIA DOS ÍNDIOS DO BRASIL, a revista Caros Amigos procura mostrar um pouco dessa tragédia histórica, persistente, desumana, movida pela ganância típica dos que colocam sua sede de lucro e seu interesse particular acima das pessoas e dos bens coletivos. Entendemos que a melhor contribuição que podemos dar ao povo brasileiro, no momento, é contar um pouco dessa história, mostrar o que acontece na vida real, fazer o jornalismo sério, independente, crítico e ético - que não se deixa enganar pelo discurso das elites dominantes.



Leia Caros Amigos. Divulgue essa Edição Especial. Tome posição do lado dos povos indígenas.



Queremos agradecer a todos – jornalistas, pesquisadores e lideranças indígenas – que contribuiram para a produção dessa Edição Especial, entre tantos, Joana Moncau, Spensy Pimentel, Rosa Gauditano, Verena Glass, Tonico Benites, Juradir Xavante, Christiane Peres, Bianca Pyl, Juliana Cezar Nunes, Cristiano Navarro, Manuela Carneiro da Cunha, Marcio Meira, Gabriela Moncau, Joênia Wapichana, Maurício Hashizume, Vinicius Mansur, Wilson Changaray, além da equipe de edição da Caros Amigos.



Leia e divulgue esse documento histórico – especialmente junto aos movimentos sociais, estudantes e professores de todos os níveis de ensino.



Abraços.

Hamilton Octavio de Souza

Editor.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…