Pular para o conteúdo principal

Daniel Munduruku

No final dos anos oitenta conheci Daniel Munduruku, com um senso de humor peculiar e um educador hábil, que também soube se equilibrar entre duas culturas, a de raiz ancestral e esta que é resultado de uma longa travessia de oceano, e de longas batalhas e conflitos e desencontros. tinha um sonho que logo também cultivei; que era o de fomentar entre os nossos parentes indígenas o gosto pela literatura, pela escritura; e mais, estimular aos próprios parentes que escrevessem suas próprias histórias.
Assim foi feito. Hoje ele articula mais de trinta escritores indígenas e já estimulou uma diversidade de publicações, artigos, coletâneas e outras participações em livros.
neste momento está na organização de um seminário sobre literatura e história indígena que acontecerá na biblioteca Monteiro Lobato, em são Paulo, na vila buarque.
Vale a pena conferir!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…