Pular para o conteúdo principal

ENTREVISTA DE KAKÁ WERÁ PARA HIEROPHANT

1- vivendo no mundo real das cidades grandes, qual seria sua dica
de responsabilidade social para cada habitante ?

R: a responsabilidade social para cada indivíduo começa com o interesse e a participação nas questões sociais de seu local, região, ou cidade. Trata-se da presença cidadã. Muitas vezes criticamos aqueles que estão no poder, usurpando, mentindo e degradando o ambiente; mas na verdade muita coisa é resultado de nossa omissão social.


2- Diversidade social e Sabedoria ancestral, como usar estas ferramentas de forma harmonica para equilibrar nossa mente e nossos atos?

R: A diversidade social implica em aprendermos respeitar as direnças culturais e comportamentais de pessoas e instituições. A Sabedoria Ancestral implica em reconhecermo-nos como uma extensão de elos que vão além da tribo chamada humanidade, e que há uma interrelação entre todos os reinos, ecossistemas e aspectos imateriais que precisamos aprender a nos relacionar de modo compassivo e cuidadoso. Estes dois aspectos por sua vez implica em uma mentalidade que passe a agir com responsabilidade sobre seus pensamentos, sentimentos e atitudes.

3- Se reconhecer na essência,ter conciência de si faz com nos relacionemos melhor com o todo?

R: Buscar a verdade essencial do que somos fará toda a diferença para a nossa existência e de nossas relações. Diferença para melhor, é claro!

4- ser e estar ligado à natureza nos trás satisfação, como podemos fazer este religare diariamente,nessa vida turbulenta que a maioria leva?
Você acha que é possível? que uma caminhada no parque ,uns minutos no sol,podem mudar o dia da pessoa?

R: Estar ligado á natureza traz mais que satisfação. Mas não existe somente a natureza física, a tradição ancestral considera que devemos nos ligar á nossa verdadeira natureza interior. Uma caminhada no parque, uma reverência ao sol da manhã, ao horizonte, ao vento que bate no rosto, acende essa conexão com a nossa natureza interior. O segredo está na reverência e na gratidão á todas as coisas, á todas as formas de manifestação da vida.













5- felicidade? o que é ? como reconhecê-la?



R: Há três tipos de felicidade; o primeiro tipo é aquela felicidade que se caracteriza como uma sequência de momentos prazerosos para os nossos sentidos. O segundo tipo é aquela que ocorre quando nos sentirmos amados; e o terceiro é quando amamos indistintamente, se impor condições a nada e nem ninguém e sem se preocupar se somos amados ou não. Podemos reconhecer a felicidade pelo brilho nos olhos e a luminosidade no rosto. Existe um quarto tipo que é a felicidade da criança, que é pura e gratuita, para mim essa é a felicidade perfeita.



6- a origem e cultura indígena,não foi respeitada pelos imigrantes e acabou sendo vista como um folclore indigena, sem ser dado o devido valor. O projeto Arapoty nos remete á esse universo que foi esquecido, por favor nos fale um pouco sobre o projeto.


A cultura indígena foi desrespeitada a partir do século XVI, por interesses relacionados á exploração das riquezas da terra e escravização de pessoas. Esse foi o foco que desviou a atenção dos colonizadores para o respeito ás diferentes culturas e para o uso adequado dos recursos e riquezas naturais. O Instituto Arapoty tenta ajustar o foco do homem contemporâneo para o respeito á diversidade e para o uso adequado de recursos e riquezas.




7 - Você postou no seu blog que 1/3 da população miserável no mundo é indigena e que em 100 anos 90% de todos os idiomas indígenas devem
desaparecer junto com suas tribos.
Como a gente vive esta notícia no brasil, qual é conciência do povo brasileiro,perante à este desrespeito ?


Esses dados são da ONU. As culturas indígenas foram pressionadas pelo crescimento desenfreado e pelo abuso relacionado á diversos tipos de invasões e explorações: territoriais, culturais, religiosos. Isso gerou esse tipo de miséria. Hoje existe uma parcela da população que reconhece a necessidade de rever sua relação com os povos indígenas e a natureza, mas é preciso conscientizar mais pessoas
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…