Pular para o conteúdo principal

Havia o tempo da memória da unidade.

Um dos primeiros livros escritos por um autor indígena tem por título: "Antes o Mundo Não Existia"; e neste momento não vou me lembrar o nome do autor, mas prometo que irei falar sobre ele novamente; sei que é do povo Dessana, lá do alto rio Negro, na sagrada imensidão do Amazonas. Este livro traz a visão deste povo sobre a criação do mundo, entre outras coisas. E em essência ele diz que, uma Avó ancestral e mítica cuja extensão era o vazio, principia, através do sopro de seu cachimbo e sentada em um banquinho criado do nada vivificante, a manifestar as coisas que viriam a existir.
Neste tempo surge o mundo, a natureza, os seres fantásticos, encantados, que dão por sua vez existência e voz aos primeiros seres humanos. Estes não eram classificados por etnia, por cor, por tamanho, por diferença de classes. Na verdade, nem classificados eram. Simplesmente foram humanizados, ou seja, do húmus da terra e do sopro criador, com o impulso dos encantados, tornaram-se gente.
De acordo com esta memória Dessana, somos todos descendentes das primeiras canções dessa gente, que se reconhecia unida á toda a natureza do céu e da terra. Somos unidos por uma raiz ancestral única. Somos todos índios. Feliz semana do índio pra vocês!!!
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…