Pular para o conteúdo principal

ROBERTO CREMA E KAKÁ WERÁ NA UNIPAZ EM JUNHO

É com alegria que anunciamos mais esta imersão com Roberto Crema e Kaká Werá.
Nesta imersão, Roberto Crema e Kaká Werá, através de vivências e reflexões, facilitarão um
mergulho profundo de consciência neste movimento de transição planetária, que se encontra
em curso, que podemos denominar de: Parto da Grande Mãe.

“Trata-se de um processo de morte e de renascimento, para o surgimento de uma humanidade
reconectada com a dimensão Essencial. A qualidade da Terra mudará, num processo
transformacional que transcorrerá em etapas. No Parto, todos estamos submetidos a um
estado intensificado de evolução ou involução. Não é possível uma previsão, pois não há
predeterminação de datas precisas: a consciência humana interfere na realidade. Bênçãos,
ensinamentos e inspirações se destinam a facilitar para que possamos nos tornar um cálice
receptivo. Na semeadura do novo, reflorescerá a terra fértil do coração humano.
Os quatro elementos estarão intensamente envolvidos”.
Transcomunicação: Mensagens da Luz – Os Anjos Falam, Pierre Weil, Roberto Crema e Amyr Amiden.

É tempo de voltarmos os nossos sentidos, através dos ritos, para o desvelar dos mitos,
preciosas representações arquetípicas com as quais o Mistério nos provê.

"O rito expressa um mito, encarnando-o. O mito é o coração do rito, sua estrutura
significativa. Rito e mito são duas faces de uma mesma realidade, essencialmente humana.
Quanto mais fundo mergulhamos na transformação, mais próximos estaremos da ordem Mítica,
de onde emana o rito. Há uma clara e generalizada tendência no mundo contemporâneo,
de resgatar o valor do mito e do rito, que conformam todas as grandes Tradições Sapienciais
da humanidade. Estamos vivenciando a demo-lição para a reconstrução, movimento que
alguns denominam de reencantamento do mundo. Tornar-se Sujeito do próprio mito:
Tarefa Alquímica da Individuação.” Roberto Crema
“Os mitos servem de modelos para civilizações, culturas, nações e indivíduos. Quanto aos
nossos mitos mais íntimos, eles sustentam nosso sentido na vida terrena.
Entretanto, existem também os mitos falsos, que nos desolam, que nos desestruturam,
que nos cegam ou encobrem a percepção real do nosso momento no mundo.

Quando se percorre o Caminho do Guerreiro, o aprendizado baseia-se na seiva da memória
que, das raízes, percorre o tronco, os galhos e as folhas da Árvore da Vida, que busca o Sol.
No Caminho do Guerreiro, cabe a cada um discernir os seus mitos, os verdadeiros e os falsos.
É preciso des-a-fiar o que foi tecido pelos fios divinos e o que foi tecido pelos fios humanos.
Quando se principia o discernimento, o ser humano torna-se um "txukarramãe", ou seja,
torna-se um GUERREIRO SEM ARMAS.” Kaká Werá

É importante lembrar que desde as culturas mais antigas da Terra, os ritos possuem uma
profunda importância para a consciência, para a psique e para o corpo humano,
de modo integral. O rito entroniza, celebra, consagra, purifica, glorifica. Mas devemos
cuidar eaveriguar os ritos com acuidade e discernimento. Existem ritos que fortalecem
crenças errôneas e existem ritos que fortalecem nossos laços com a Divina Presença.
Existem ritos que nos refazem os laços com uma Fé Inabalável em o Grande Mistério, cuja
expressão é compaixão, discernimento, beleza interior e a tão preciosa paz.
Neste encontro, através da interação com a natureza, refletiremos e vivenciaremos os
Mitos e Ritos:
> Nas águas do mar, com o objetivo de purificação das emoções e de renovação do nosso
corpo emocional e nossa vitalidade, tão necessários para a harmonia pessoal e coletiva;
> Partilharemos com o Fogo Sagrado um rito de purificação da mente, para que velhas,
errôneas e distorcidas crenças sejam desvencilhadas;
> Com o ar faremos o rito de integração do Ser intangível com o tangível que há em cada
um de nós, renovando nosso poder de discernir e nossa capacidade de acolher a
inspiração do Grande Mistério;
> Com a terra ancoraremos e enraizaremos nossos propósitos mais sagrados e íntimos,
enraizando no aqui e agora;
> Através do silêncio, integraremos todas as forças e potenciais interiores em uma clareza
além das dimensões racionais;
> O Parto da Grande Mãe na Terra e o Parto Nosso de cada dia;

> Mitos e paradigmas: a função do Pajé;

> Mito e mistificação: da mentira ao Mistério;

> O Círculo de Eranos: um apogeu simbólico do Ocidente;

> Mundus Imaginalis, imaginação ativa e o poder do invisível;

> Hermenêutica transdisciplinar - integração, autoria e liberdade;

> A Morada do Encontro: o Templo da Reconstrução.
É tempo de seguirmos o Caminho do Guerreiro desarmado ou com as armas da consciência,
na trilha rumo à plena e verdadeira realização para sairmos desta imersão mais preparados
para um novo reencantamento da vida.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…