Pular para o conteúdo principal

Ser a mudança que queremos ver

Ainda ouço gente dizer que precisamos nos unir para salvar o planeta. Não se dá conta da prepotência que é esta perspectiva de visão. O planeta é um corpo vivo, que se recicla e se renova periodicamente, e que reage em relação á emissões de negatividade e ignorância produzidos pela mentalidade humana com tempestades, furacões, e outros tipos de ações chamados de desastres naturais.
Além dos gases que provocam o efeito estufa, temos que aprender a deixar de emitir os gases das negatividades que criamos com nossa suposta inteligência. Temos que mudar ainda alguns paradigmas de tecnologias e ferramentas sociais.Temos que re-aprender a nos portarmos como extensões deste corpo vivo chamado carinhosamente de Mãe Terra pelas culturas ancestrais.
Sobretudo temos que realizar um esforço para adquirirmos novos hábitos e novos comportamentos mais dignos, mais ecológicos, mais saudáveis.
Temos também que despoluir aspectos de conduta de alta periculosidade moral e ética, como corrupções e ditaduras. E temos que ter uma ação correspondente ao que pregamos e pensamos, como diria Gandhi, devemos ser a mudança que queremos ver no mundo.
Os milênios de materialismo fez com que o ser humano perdesse a percepção de que nós somos entidades subjetivas que criam realidades objetivas, e estas se manifestam de acordo com o que verdadeiramente cremos. Assim também é a Mãe Terra; no interior de suas paisagens, ecossistemas, superfícies; pulsa uma entidade iluminada, potente e sutil, que nos acolhe indiscriminadamente, mesmo enquanto envenenamos sua pele-solo, suas águas, sua respiração, que também é a nossa própria respiração.
Mas quando um grande acúmulo de negatividade e veneno de toda ordem lhe sobrepõe, a sagrada Mãe reage, purificando-se através dos ventos, das águas, do fogo. Assim ela se renova e se salva.
E quanto á nós, seres humanos?
Poderemos pelo menos salvar á nós mesmos?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A espiritualidade da natureza

A espiritualidade não é um movimento e nem uma ideologia. Não é uma teoria criada por alguém. Também não é privilégio de alguns. Embora não seja reconhecida por inúmeras pessoas.  A espiritualidade é um princípio universal que está na base da sabedoria humana. Ao longo da presença de diversas culturas pelo mundo desde épocas imemoriais ela tem estado presente em sistemas de conhecimento, filosofias, cosmovisões, memórias, etc. A mais antiga noção de espírito e de espiritualidade vem da natureza. Ela foi e é a inspiradora do reconhecimento e do desvendamento do mistério que somos. Nesse sentido as culturas que se formaram com laços fortemente traçados com a natureza desenvolveram uma espiritualidade e uma visão de espirito de extrema poesia e integração. Uma das culturas que se expressou de um modo agudo e profundo essa relação do espírito com a natureza foi a tradição tupi. Umas das mais antigas raízes culturais do Brasil.  A tradição tupi tem mais de 12.000 anos de presença na face …

TEKOA: COMO TORNAR UM LUGAR SAGRADO

Esses dias recebi uma frase no facebook, atribuída á um biólogo, que dizia o seguinte: "se desaparecessem todos os insetos da Terra, em 50 anos a vida no planeta se exterminaria; mas se desaparecessem os seres humanos, em 50 anos toda a Terra seria reconstituída e renovada com toda a sua biodiversidade" . Não creio que há exageros nisso, realmente nós, seres humanos temos tido comportamentos terríveis em relação ao modo como interagimos com o espaço em que vivemos: seja ele o ambiente, o lugar onde moramos e também com as pessoas com quem convivemos. Dizem alguns mestres de sabedoria que um espaço em desarmonia é resultado de uma mente em desarmonia. Uma casa em desarmonia é resultado de uma mente em desarmonia. Um corpo em desarmonia também é resultado de uma mente em desarmonia.Por isso, independente de ambientes sofisticados ou simples, ao cuidar do lugar, com gratidão e carinho, ele refletirá esse "clima". Assim também, quando arrumamos a nossa "casa" …

A raiz do xamanismo e da sabedoria tupi

É
É com grande alegria que anunciamos a publicação de mais este importante livro, que contém os preciosos fundamentos de uma das grandes tradições espirituais da América do Sul: a tradição ancestral tupi-guarani! "Desde os últimos duzentos anos de peregrinação tupi-guarani, existe uma profecia que fala do retorno de Tupã no coração dos Homens, para iniciar ‘a quarta humanidade’. Segundo essa antiga tradição, Tupã é um dos nomes do Grande Espírito, do Sagrado Mistério, da causa de toda emanação de vida. É a Consciência Infinita, presente, mas adormecida em nossos corações e mentes, que precisa ser despertada. Existe uma via chamada ‘Apecatu Ava-porã’, que significa O Caminho do Homem Sagrado. É um método de aprimoramento pessoal em que a natureza e suas forças apoiam o ser humano em seu alinhamento, despertar e integração da consciência a partir de músicas, meditações e sons apropriados. Para isso, ‘há que se conhecer o Trovão e o Vento’, diziam os antigos mestres Nessa via, o Tro…