Pular para o conteúdo principal

GANÄNCIA HUMANA CONTINUA MATANDO INDIOS


Relatório divulgado pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) aponta a ocorrência de um genocídio indígena em Mato Grosso do Sul nos últimos oito anos. Segundo o documento, 250 índios foram assassinados neste período, a maioria na região sul, onde vivem os índios guarani/caiuá. A dimensão da situação fica mais evidente quando se compara os dados com os números nacionais. Conforme o Cimi, enquanto a média nacional é de 24,5 homicídios para cada 100 mil pessoas, na Reserva Indígena de Dourados, a maior do Estado, a proporção é de 145 assassinatos para cada grupo de 100 mil habitantes. No Iraque, a média proporcional é de 93 mortes/100 mil moradores.
O levantamento mostra ainda que Mato Grosso do Sul lidera em número de assassinatos de indígenas. Em 2007, 70% dos casos registrados no Brasil foram em Mato Grosso do Sul - 42 contra os 18 computados nos demais estados. No total, 55% dos homicídios foram de índios das etnias que vivem no MS, sendo 250 aqui e 202 no restante do País. A situação não é diferente em se tratando de tentativas de assassinato. Enquanto no período de 2003 a 2010 foram 190 em Mato Grosso do Sul, nas demais regiões do Brasil foram 111. Nos primeiros nove meses deste ano, 27 dos 38 indígenas mortos violentamente no Brasil são sul-mato-grossenses, o que corresponde a 71%.
Para Flávio Vicente Machado, coordenador estadual do Cimi, instituição ligada à igreja católica, a explicação para esse quadro de violência é o conflito agrário. São lideranças indígenas sendo mortos na luta pela terra contra os fazendeiros, e moradores comuns das aldeias sendo assassinados em conflitos internos. Vivem no Estado cerca de 75 mil índios, a segunda maior população do País, superado apenas pelo Amazonas.
•Aqui os índios ocupam pouco mais de 0,2% do território estadual. Só na Reserva de Dourados são 15 mil vivendo em 3,3 mil hectares. Confinados, os índios não conseguem se movimentar para outras regiões, para evitar brigas com outras famílias e isso acaba resultando em violência interna - diz o coordenador do Cimi.
Aliado a isso, os indígenas ainda sofrem a influência dos brancos, com o aumento no número de jovens ingerindo bebida alcoólica e usando drogas. Segundo Flávio Machado, cria-se ainda na comunidade o sentimento de impunidade, já que na maioria dos casos os autores acabam não sendo punidos. Ele cita como exemplo o episódio dos irmãos Genivaldo e Rolindo Vera, professores que viviam em um acampamento em Paranhos, fronteira com o Paraguai, na época em que havia um clima tenso entre os índios que ocupavam uma área e seguranças de fazendeiros. Durante um confronto, em outubro de 2009, os irmãos desapareceram e o corpo de Genivaldo foi encontrado com perfurações, boiando num rio próximo do local do conflito. O do irmão dele até hoje não foi encontrado e a Polícia Federal ainda não concluiu o inquérito, que corre em segredo de justiça.
Flávio Machado cita outro número que mostra o quadro crítico da situação agrária envolvendo os indígenas de Mato Grosso do Sul. Segundo o Relatório, o Estado concentra o maior número de acampamentos de índios - 31 atualmente, enquanto a dois anos eram 22. São mais de 1.200 pessoas vivendo em condições subumanas à beira de rodovias ou sitiadas em fazendas, em barracos de lona de plástico e com dificuldade de conseguir alimento e até água. O documento, segundo o coordenador do Cimi, será encaminhado para as autoridades brasileiras e para entidades internacionais dos direitos humanos e que defendem as causas indígenas.



Fonte: O Globo





--------------------------------------------------------------------------------

Envie seu Comentário

1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A espiritualidade da natureza

A espiritualidade não é um movimento e nem uma ideologia. Não é uma teoria criada por alguém. Também não é privilégio de alguns. Embora não seja reconhecida por inúmeras pessoas.  A espiritualidade é um princípio universal que está na base da sabedoria humana. Ao longo da presença de diversas culturas pelo mundo desde épocas imemoriais ela tem estado presente em sistemas de conhecimento, filosofias, cosmovisões, memórias, etc. A mais antiga noção de espírito e de espiritualidade vem da natureza. Ela foi e é a inspiradora do reconhecimento e do desvendamento do mistério que somos. Nesse sentido as culturas que se formaram com laços fortemente traçados com a natureza desenvolveram uma espiritualidade e uma visão de espirito de extrema poesia e integração. Uma das culturas que se expressou de um modo agudo e profundo essa relação do espírito com a natureza foi a tradição tupi. Umas das mais antigas raízes culturais do Brasil.  A tradição tupi tem mais de 12.000 anos de presença na face …

TEKOA: COMO TORNAR UM LUGAR SAGRADO

Esses dias recebi uma frase no facebook, atribuída á um biólogo, que dizia o seguinte: "se desaparecessem todos os insetos da Terra, em 50 anos a vida no planeta se exterminaria; mas se desaparecessem os seres humanos, em 50 anos toda a Terra seria reconstituída e renovada com toda a sua biodiversidade" . Não creio que há exageros nisso, realmente nós, seres humanos temos tido comportamentos terríveis em relação ao modo como interagimos com o espaço em que vivemos: seja ele o ambiente, o lugar onde moramos e também com as pessoas com quem convivemos. Dizem alguns mestres de sabedoria que um espaço em desarmonia é resultado de uma mente em desarmonia. Uma casa em desarmonia é resultado de uma mente em desarmonia. Um corpo em desarmonia também é resultado de uma mente em desarmonia.Por isso, independente de ambientes sofisticados ou simples, ao cuidar do lugar, com gratidão e carinho, ele refletirá esse "clima". Assim também, quando arrumamos a nossa "casa" …

A raiz do xamanismo e da sabedoria tupi

É
É com grande alegria que anunciamos a publicação de mais este importante livro, que contém os preciosos fundamentos de uma das grandes tradições espirituais da América do Sul: a tradição ancestral tupi-guarani! "Desde os últimos duzentos anos de peregrinação tupi-guarani, existe uma profecia que fala do retorno de Tupã no coração dos Homens, para iniciar ‘a quarta humanidade’. Segundo essa antiga tradição, Tupã é um dos nomes do Grande Espírito, do Sagrado Mistério, da causa de toda emanação de vida. É a Consciência Infinita, presente, mas adormecida em nossos corações e mentes, que precisa ser despertada. Existe uma via chamada ‘Apecatu Ava-porã’, que significa O Caminho do Homem Sagrado. É um método de aprimoramento pessoal em que a natureza e suas forças apoiam o ser humano em seu alinhamento, despertar e integração da consciência a partir de músicas, meditações e sons apropriados. Para isso, ‘há que se conhecer o Trovão e o Vento’, diziam os antigos mestres Nessa via, o Tro…