Pular para o conteúdo principal

A Cúpula dos Povos



A Cúpula dos Povos, encontro de ONGs que será realizado paralelamente à Rio+20, será realizada no Aterro do Flamengo, confirmou hoje o Comitê Facilitador da Sociedade Civil para a Rio+20. O local é o mesmo que abrigou o Fórum Global, histórico encontro que reuniu mais de 17 mil ativistas durante a Eco-92, há 20 anos. Desta vez, são esperadas mais de 30 mil participantes para a reunião das ONGs, de 15 a 23 de junho.
De acordo com Carlos Henrique Painel, do Comitê Facilitador, a decisão atende à reivindicação das redes, organizações e movimentos sociais que participarão do encontro, que queriam resgatar o simbolismo do Aterro do Flamengo.
"Nas últimas semanas, as ONGs vinham negociando a utilização do Aterro do Flamengo com a Prefeitura do Rio, mas o principal nó das negociações era encontrar um local para alojar cerca de 10 mil pessoas que devem ficar acampadas durante a realização do evento", diz Painel.
Segundo ele, a Prefeitura do Rio ofereceu duas escolas, uma no bairro do Catete e uma no Centro, com capacidade para alojar cerca de 5 mil pessoas, além das novas instalações dos camarotes do Sambódromo. Também foram oferecidos um galpão de 5 mil m² na Praça Mauá e um terreno de 16 mil m² na região do Cais do Porto.
"Aceitamos as escolas como opção de alojamento para os participantes, mas o galpão e o terreno ainda precisam passar por uma avaliação técnica. Vamos verificar se há condições de segurança para os participantes", disse Painel. A definição dos locais que vão hospedar os acampamentos das ONGs deverá ser feita até a próxima segunda-feira. São esperados representantes de movimentos sociais, indígenas e quilombolas.

1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…