Maracanã e Cabral

O Cabral quer encobrir o Brasil. o governador do Rio de Janeiro acha ridículo preservar a memória das raízes que fundaram o país, logo ali, perto do estádio que vai ser o palco mundial do futebol em 2014. Para o governador Sérgio Cabral, é melhor destruir a memória e fazer um estacionamento. Quando observamos os países anteriores que sediaram copas do mundo, da Europa, passando pela Ásia e até a África; foi comum presenciar a valorização da diversidade da cultura local, principalmente aquelas que originam suas respectivas nações. Mas sabemos que infelizmente a cultura indígena não é respeitada pelos homens de poder. É tido como um estorvo. Se fosse um prédio dedicado aos ingleses ou holandeses, é claro que eles iriam fazer ali um mega museu. Mas, afinal de contas, são somente índios.
E Cabral não gosta de índios.