Minha história



Na década de 1980 dediquei minha vida a ações sociais voluntárias com o povo guarani de São Paulo. Com o tempo e a experiência adquirida, elas evoluíram de um relacionamento de prestação de assistência e defesa de direitos humanos para o empreendedorismo social e a geração de renda e qualidade de vida em comunidades, atuando em regiões específicas do estado do Paraná e no litoral paulista. Foram ações envolvendo levantamento de necessidades em áreas indígenas com a participação e definição de prioridades realizadas pelas lideranças das aldeias,  e meu papel era de buscar apoio entre pessoas e instituições sensibilizadas com a causa e com a proposta não-assistencialista, mas com foco de gerar sustentabilidade. Neste processo tornei-me empreendedor social reconhecido pela Ashoka Empreendedores Sociais, uma fundação que apoia e colabora no aperfeiçoamento de ativistas desta natureza.
No início dos anos de 1990, aprofundei o foco de minha relação com a cultura indígena para o aprendizado e pesquisa de seus valores sagrados e sua cosmovisão.  Com o passar do tempo, tive a oportunidade de relacionar a síntese de minha experiência com os guarani com os estudos em valores humanos realizados com Sua Santidade o Dalai Lama – no Brasil, na França e na Índia - o que foi para mim um marco no entendimento mais profundo na questão do ser, de sua essencia e sua impermanência. 
Estudei a questão da ancestralidade e das culturas ancestrais do Brasil de modo empírico e fiz o curso de formação Holística de Base, na Unipaz (Universidade Holística da Paz). Foi assim que pude extrair conteúdos com enfoque centrado no auto-conhecimento, na sabedoria ancestral e na ecologia profunda a partir da investigação dos saberes tradicionais das raízes culturais do Brasil.
As vivências e seminários que realizo pelo Brasil e também em alguns países da América e da Europa possuem a característica de utilizar uma cosmovisão ancestral como base e inspiração para trabalhar o desenvolvimento consciencional do indivíduo, de sua relação com a diversidade, com o meio em que vive, com suas raízes e com seus projetos de futuro. Em paralelo á isso, atualmente o foco do empreendedorismo social está na educação, através de um esforço para oferecer uma pedagogia inclusiva, que eduque para o desenvolvimento de aptidões cooperativas, criativas e não discriminativas; que possam refinar o jovem em valores humanos, ética e caráter.

VEJA TAMBÉM