Pular para o conteúdo principal

Cabral não quer indios na aldeia Maracanã


Os índios que ocupam o antigo museu ao lado do estádio do Maracanã viveram mais um dia de tensão nesta quinta-feira com a iminência de uma invasão por parte das forças de segurança. O prédio e terreno estão envoltos em disputa judicial para desocupação, tendo em vista as obras estruturais no entorno, que o Estado alega serem exigências da Fifa para a Copa do Mundo de 2014.
“O pessoal vê notícias na internet e já começa a ficar preocupado por aqui, já começa a movimentação, está todo mundo com medo”, relata o cacique Carlos Tucano, principal representante da Aldeia Maracanã, local onde, entre as décadas de 50 e 70, funcionou o Museu do Índio. Hoje o prédio de cerca de 150 anos é ocupado por 17 etnias.
Na tarde de hoje, voltou a circular a informação, não confirmada pela Defensoria Pública do Estado, tampouco pelas autoridades de segurança, de que a Tropa de Choque da Polícia Militar estaria se dirigindo ao local para a retirada dos índios. No último final de semana, os policiais fizeram um cordão de isolamento na preparação para a invasão, que não ocorreu uma vez que o Estado não detinha o termo de posse do local.
A concentração de jornalistas no local também aumentou o clima de tensão entre os índios, muito embora nenhum carro da PM tenha aparecido. “Toda hora alguém diz que o Choque está vindo. Poucas horas atrás, caiu um coco desses (apontando para o alto), e o impacto com o banco de madeira fez um barulho que o pessoal já pensou que fosse bomba. Estão fazendo um terror psicológico com a gente”, argumenta Afonso Apurinã, representante do Centro de Referência da População Indígena.
“Vamos ver o que vai ser. Estamos aqui esperando. Já tem gente até criando perfil falso no Facebook para atacar a gente, falando coisas negativas. Já saiu até no jornal de que tem gente fumando maconha aqui, que teria até traficantes. Isso é um absurdo”, completou Apurinã.
O fato é que a repercussão do caso não só deixou o ambiente tenso na aldeia, como dificultou e muito o trabalho dos jornalistas. A todo momento, a reportagem do Terra era abordada por representantes da aldeia, antropólogos que se dizem defensores da causa indígena e até defensores do movimento punk, todos receosos quanto a atuação da imprensa. Eles impedem que fotógrafos, por exemplo, façam imagem do interior do antigo museu, ou mesmo dos próprios manifestantes.
Proposta recebida
Na tarde da última quarta-feira, os representantes da Aldeia Maracanã receberam por parte da secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos um documento assinado pelo secretário Zaqueu Teixeira e pelo governador Sérgio Cabral, comprometendo-se com a realocação dos indígenas para outro local. Cabral sugeriu um terreno na Quinta da Boa Vista, próximo ao Maracanã, além da criação de um centro de referência da cultura indígena.
“Estamos com o pé atrás, porque eles não mencionam o local exato, não dá para acreditar que isso vai acontecer mesmo. Quando nos entregarem um documento dizendo que vão nos transferir para tal local, tudo documentado, aí a gente submete a votação”, explicou Carlos Tucano. As 17 etnias presentes devem aprovar unanimemente a proposta estadual, sem restrições, para que ela seja aprovada e os índios se retirem em comum acordo. 

Postagens mais visitadas deste blog

A espiritualidade da natureza

A espiritualidade não é um movimento e nem uma ideologia. Não é uma teoria criada por alguém. Também não é privilégio de alguns. Embora não seja reconhecida por inúmeras pessoas.  A espiritualidade é um princípio universal que está na base da sabedoria humana. Ao longo da presença de diversas culturas pelo mundo desde épocas imemoriais ela tem estado presente em sistemas de conhecimento, filosofias, cosmovisões, memórias, etc. A mais antiga noção de espírito e de espiritualidade vem da natureza. Ela foi e é a inspiradora do reconhecimento e do desvendamento do mistério que somos. Nesse sentido as culturas que se formaram com laços fortemente traçados com a natureza desenvolveram uma espiritualidade e uma visão de espirito de extrema poesia e integração. Uma das culturas que se expressou de um modo agudo e profundo essa relação do espírito com a natureza foi a tradição tupi. Umas das mais antigas raízes culturais do Brasil.  A tradição tupi tem mais de 12.000 anos de presença na face …

TEKOA: COMO TORNAR UM LUGAR SAGRADO

Esses dias recebi uma frase no facebook, atribuída á um biólogo, que dizia o seguinte: "se desaparecessem todos os insetos da Terra, em 50 anos a vida no planeta se exterminaria; mas se desaparecessem os seres humanos, em 50 anos toda a Terra seria reconstituída e renovada com toda a sua biodiversidade" . Não creio que há exageros nisso, realmente nós, seres humanos temos tido comportamentos terríveis em relação ao modo como interagimos com o espaço em que vivemos: seja ele o ambiente, o lugar onde moramos e também com as pessoas com quem convivemos. Dizem alguns mestres de sabedoria que um espaço em desarmonia é resultado de uma mente em desarmonia. Uma casa em desarmonia é resultado de uma mente em desarmonia. Um corpo em desarmonia também é resultado de uma mente em desarmonia.Por isso, independente de ambientes sofisticados ou simples, ao cuidar do lugar, com gratidão e carinho, ele refletirá esse "clima". Assim também, quando arrumamos a nossa "casa" …

A raiz do xamanismo e da sabedoria tupi

É
É com grande alegria que anunciamos a publicação de mais este importante livro, que contém os preciosos fundamentos de uma das grandes tradições espirituais da América do Sul: a tradição ancestral tupi-guarani! "Desde os últimos duzentos anos de peregrinação tupi-guarani, existe uma profecia que fala do retorno de Tupã no coração dos Homens, para iniciar ‘a quarta humanidade’. Segundo essa antiga tradição, Tupã é um dos nomes do Grande Espírito, do Sagrado Mistério, da causa de toda emanação de vida. É a Consciência Infinita, presente, mas adormecida em nossos corações e mentes, que precisa ser despertada. Existe uma via chamada ‘Apecatu Ava-porã’, que significa O Caminho do Homem Sagrado. É um método de aprimoramento pessoal em que a natureza e suas forças apoiam o ser humano em seu alinhamento, despertar e integração da consciência a partir de músicas, meditações e sons apropriados. Para isso, ‘há que se conhecer o Trovão e o Vento’, diziam os antigos mestres Nessa via, o Tro…