Ruralistas comandam o código florestal e expulsam índios

Em abril deste ano representantes indígenas de diversas regiões pressionaram a Cãmara dos Deputados em Brasília para a não formação de uma comissão que iria acolher a PEC 215, um projeto de lei que tira  da Presidencia da República, através do Ministério da Justiça e FUNAI, a responsabilidade sobre a questão de demarcação de Terras e põe nas mãos da Câmara; onde a maioria é notadamente ruralista.
O espaço que se utilização foi a Comissão Parlamentar para Questões Indígenas,presidida pelo Deputado Federal Padre Ton e tendo a vice-presidencia o Deputado Federal José Luis Penna.
Se acontecer de questões indígenas ficarem nas mãos dos parlamentares para resolver, é como se colocássemos a raposa para tomar conta das galinhas.
Além disso, a presidente Dilma quer que seja revista o modo como se demarca terra no país, colocando os estudos também nas mãos de instituições como Embrapa e organizações ligadas ao agro-negócio. Ou seja, há mais raposas para serem colocadas em outras portas da questão do território  e das culturas que milenarmente os ocuparam.
O cerco está se fechando contra os direitos constitucionais indígenas. E o pior é que o noticiário passa a ideia de que são os índios estão invadindo, badernando, etc
Em relação ao código florestal, os ruralistas também conseguiram o que queriam: anistia de multas, possibilidades de aumento do desmatamento, comprometer encostas e nascentes e ainda posarem do progressistas. O reflexo disso já se apresenta: diminuição de florestas, super-envenenamento do solo com agrotóxicos, populações á deriva social, morando e se alimentando em condições inaceitáveis do ponto de vista da saúde social. É isso desenvolvimento?



Postagens mais visitadas