Pular para o conteúdo principal

Cabral pode receber índios


Da folha de São Paulo
A reação do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), para tentar conter a queda de sua popularidade inclui abrir as portas do Palácio Guanabara para indígenas que formavam a "Aldeia Maracanã".
Os indígenas que ocupavam o antigo Museu do Índio foram retirados em março com forte aparato policial, uso de gás lacrimogêneo e balas de borracha. Agora serão recebidos, possivelmente no início da próxima semana, pelo governador.
Antes da retirada dos indígenas do prédio, Cabral já havia desistido de demoli-lo. Mas afirmou que o local seria usado para a instalação de um Museu Olímpico.
A decisão não agradou os ocupantes do local, que agora devem atingir seus objetivos. O antigo Museu do Índio, que no planejamento inicial seria demolido, deve abrigar um centro de estudos sobre a cultura indígena.
Se confirmado, este seria o terceiro recuo do governador em relação ao entorno do estádio --os outros dois são a manutenção do parque aquático Júlio Delamare e o estádio de atletismo Célio de Barros. O destino da Escola Municipal Friedenreich, também no entorno do Maracanã, ainda está indefinido.
O entorno do Maracanã foi escolhido pelo governo como sinalização de reabertura de diálogo.
Primeiro, a ideia de Cabral era demolir o edifício, como parte do que Cabral chamava de modernização do Maracanã e seu entorno. Daria espaço a lojas, estacionamento e um heliponto.
O objetivo é tirar a imagem de "ditador" atribuída a Cabral durante os protestos. Na avaliação de auxiliares dele, suas reações ajudaram a colar o rótulo. As tratativas com os índios vêm sendo conduzidas pela secretária de Cultura, Adriana Rattes.

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…