Pular para o conteúdo principal

Compromisso com demarcação de terras indígenas deve ser urgente

O segundo turno começa com grandes dificuldades de posicionamento para quem ficou de fora. Alguns partidos propõem a neutralidade, o voto nulo ou o voto em branco. Na minha opinião estas três opções favorecem sempre o inimigo, seja ele quem for. Não acrescenta nada á democracia. Aliás, dependendo do discurso pode demonstrar inclusive uma visão reducionista e dogmática ao extremo de idéias e propósitos.
O Partido Verde optou por apoiar Aécio Neves. Para isso fez algumas objeções e propostas. No meu caso estou particularmente preocupado com a questão indígena no que se refere a demarcação de terras. Pois Dilma enrolou estes quatro anos o quanto pode e não demarcou nada. Existem na mesa do Ministério da Justiça cerca de trinta processos prontos para serem homologados, todos com reconhecimento total de aprovação devido aos extensos estudos para tal.
Aécio diz até então que é a favor de fragmentar as decisões de  demarcação, distribuindo a responsabilidade para uma diversidade de órgãos, reduzindo imensamente as atribuições da FUNAI.
 Na minha visão isto somente irá dificultar mais ainda o processo, que já sofre um atraso de mais de 25 anos, desde a constituinte de 2008.
Aécio deveria ouvir as lideranças indígenas, ser sensível á opinião deles, e contribuir para o fim desta longa e violenta novela, pois quanto mais tempo se demora para regularizar esta questão, mas cresce a violência em decorrência de conflitos pela terra em diversos pontos do país.
A demarcação deve ser urgente, urgentíssima, portanto, assina Aécio, e estará fazendo justiça.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

ÍNDIO É PROGRESSO

Da época da colonização para os tempos atuais de certa forma ocorreu uma evolução no relacionamento da sociedade para com os povos indígenas. No início foram escravizados. Pouco mais de um século depois, com o advento da escravização africana foram perseguidos para serem mortos por serem considerado “estorvo” para os caçadores de tesouro. Com o tempo, foi-se caipirizando e caboclando os remanescentes das mais diversas etnias e apagadas suas memórias ancestrais.   Somente na metade do século XX é que começou a haver um interesse mais humanista pela diversidade étnica brasileira, que coincidiu com o delineamento da democracia nos anos 80, colaborando  também para surgir um movimento de cidadania indígena e revitalização de suas lutas históricas. No passado foram as chamadas “bandeiras” que destituíram milhares de comunidades de suas tradições e modo de ser. Atualmente  a pressão de grandes obras de infraestrutura em locais que por direito é destinado á povos indígenas ou á preservação amb…