Pular para o conteúdo principal

Para onde vai a Educação?

Fico preocupado com a educação. Tem diminuído o número de cidadãos que querem ser professores. Não tem sido uma profissão  de reconhecimento.  Nas periferias os sonhos de prosperidade dos garotos pobres tem sido o futebol. Nada contra o futebol, que adoro,mas a perspectiva é muito limitadora do ponto de vista dos potenciais e das possibilidades de prosperidade e do desenvolvimento das pessoas.
Em São Paulo, o estado tem tratado com negligência os professores. Existem categorias de contratados que ganham mal e não tem nem direito aos clássicos fundamentos da CLT, como décimo terceiro, férias, etc.  Ouso até dizer que é quase um trabalho semi-escravo.
As universidades paulistas não acolhem os pobres, negros, ou descendentes de índios. Elas são contra o sistema de cotas.
Sabemos que o verdadeiro desenvolvimento do Brasil se dará quando tiver um sistemas educacional de ponta, eficiente e que atinja toda pessoa que estiver na linha da pobreza e abaixo dela, pois não dá pra viver eternamente de bolsa família. Inclusive é uma questão de dignidade pessoal, poder gerar  subsistência e riqueza a partir do próprio esforço. E na minha humilde visão, isto passa pela educação. Mas não basta construir prédios. Há que se construir qualidade, valores, reconhecimento para quem atua e aprimoramento do sistema.





























Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

ÍNDIO É PROGRESSO

Da época da colonização para os tempos atuais de certa forma ocorreu uma evolução no relacionamento da sociedade para com os povos indígenas. No início foram escravizados. Pouco mais de um século depois, com o advento da escravização africana foram perseguidos para serem mortos por serem considerado “estorvo” para os caçadores de tesouro. Com o tempo, foi-se caipirizando e caboclando os remanescentes das mais diversas etnias e apagadas suas memórias ancestrais.   Somente na metade do século XX é que começou a haver um interesse mais humanista pela diversidade étnica brasileira, que coincidiu com o delineamento da democracia nos anos 80, colaborando  também para surgir um movimento de cidadania indígena e revitalização de suas lutas históricas. No passado foram as chamadas “bandeiras” que destituíram milhares de comunidades de suas tradições e modo de ser. Atualmente  a pressão de grandes obras de infraestrutura em locais que por direito é destinado á povos indígenas ou á preservação amb…