Pular para o conteúdo principal

Kaká Werá e Roberto Crema na Unipaz


A UNIPAZ-RJ, com alegria, anuncia mais uma imersão com Roberto Crema e Kaká Werá. 

Aliando mais uma vez a sintonia dos dois facilitadores ao local paradisíaco do Hotel do Bosque, entre Angra dos Reis e Parati, estaremos vivenciando e refletindo profundamente sobre nossas Trilhas e Labirintos para continuarmos mirando o Alvo da auto realização.
“Nas sabedorias indígenas existem conceitos referentes aos aspectos masculino e feminino do ser que indicam uma origem comum ao yin e yang da tradição taoista mas o seu sentido, em essência, propõe a ideia de que o ser humano possui em sua natureza interior princípios que não são separados por gênero, e nem são separados por si mesmos, e que se complementam mutuamente e servem como propulsores de potenciais do indivíduo.
Um entendimento mais profundo dos princípios que complementam o indivíduo propicia uma melhora na arte dos relacionamentos e na obtenção de êxito pessoal, levando-se em consideração que as relações no mundo exterior são reflexo das relações do ser consigo mesmo. Portanto, conhecendo melhor os padrões arquetípicos dos princípios que regem o indivíduo, pode-se obter êxito em diversos níveis e situações da vida. O ser integrado colhe bênçãos e prosperidade, mas também estabelece um compromisso com seu íntimo que é o de progredir infinitamente em direção ao seu alvo, sob a ótica de uma sabedoria inspirada na observação da natureza.
A natureza é o templo e a expressão do aspecto feminino de Deus. Quando o ser humano se reúne diante da natureza, com respeito e gratidão, e acende o Fogo Sagrado reconhecendo em sua presença a própria ação purificadora e transformadora do Grande Espírito, pode seguir sem medo pelas trilhas e labirintos para o alvo da auto realização.
O ARCO - Princípios femininos:
1. A noite – princípio do mistério.
2. O sono – princípio do repouso.
3. A sabedoria – princípio do Sopro que inspira e ilumina.
4. A compaixão – princípio que ama indistintamente.
5. A beleza – princípio que aprimora o Ser.
6. A misericórdia – princípio que perdoa além da sabedoria.
7. A morte – princípio que transforma para elevar.
A FLECHA - Princípios masculinos:
1. O poder – princípio que ordena o caos.
2. A autoridade – princípio que imprime o modelo.
3. O despertar – princípio que imprime o crescimento.
4. A força – principio que protege e agride.
5. O foco – principio que busca o alvo.
6. A fúria - princípio que reage às distorções.
7 . A luta - princípio que aprimora o caráter”.
Kaká Werá
Navegamos velozmente tempos cruciais, críticos e criativos. Como surfar o inusitado instante, solo fecundo da realidade plural, rumo à meta do si-mesmo? Como aproveitar as energias das tempestades e tsunamis para conduzir nosso barco para um destino eleito e consciente? Como deixar de ser vítima das circunstâncias, assumindo a condição de autoria, de sujeito do passo nosso de cada dia? Eis algumas questões prementes que nos inspirarão na travessia desta Imersão, que focaliza o arco do princípio feminino e a flecha, do masculino, diante do alvo desafiador da Inteireza. Ser humano, eis a questão!
À luz da Terapia Iniciática de Karlfried Graf-Durckheim e dos princípios inovadores de uma Quinta Força em Terapia, a partir dos postulados de um Cuidado Integral fundamentado na abordagem transdisciplinar da realidade, peregrinaremos pelos meandros estreitos e fecundos da mandala da Inteireza. Eis alguns itens que percorreremos na Oca do Encontro:
O Livro Vermelho: reencontro com Jung no Mundus Imaginalis
As trilhas que nos trilham
O Numinoso: o caminhante, o labirinto, as curvas, o Centro...
Critérios de discernimento: hermenêutica e libertação
A trindade do Ser
Telos: o chamado da semente
Caminhos da integração: além das polaridades
A terceira Idade do Espírito e o arquétipo do Feminino Sagrado
O Tao do Encontro".
Roberto Crema

"- Deixe de pensar no disparo!", exclamava o mestre.
" Assim não há como evitar o fracasso!"
" - Eu não consigo evitar", repliquei. "A tensão é insuportavelmente dolorosa".
" - Isso acontece porque o senhor não está realmente desprendido de si mesmo. Contudo, é tão simples... Uma simples folha de bambu pode ensiná-lo. Com o peso da neve ela vai se inclinando aos poucos, até que de repente a neve escorrega e cai, sem que folha tenha se movido. Como ela, permaneça na maior tensão até que o disparo caia: quando a tensão está no máximo, o tiro tem que cair, tem que desprender-se do arqueiro como a neve da folha, antes mesmo que ele tenha pensado nisso".
Eugen Herrigel - Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen

"O arco sussurra à flecha, antes de atirá-la: 'Tua liberdade me pertence'"
Rabindranath Tagore

"O bem e o mal precisam ser conciliados para o nascimento do símbolo, que não pode ser ideado nem inventado: ele se torna como a criança no ventre da mãe."
Carl Gustav Jung

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…