Pular para o conteúdo principal

Sri Tathata no Brasil

Sri Tathata nasceu no Kerala, sul da Índia. Muito jovem descobriu que estava na Terra por uma causa superior. Começou sua ascese e as práticas yoguicas desde cedo e sua consciencia despertou para os níveis e planos superiores da vida.
Sua mensagem fala do novo Darma para a humanidade. Sua fala é inclusiva em termos do acolhimento e reconhecimento de todas as religiões como portadoras de uma missão sagrada, que é a espiritualização do ser humano.  Fala do respeito á diversidade e da valorização das raízes ancestrais em todos os sentidos.
No mes de novembro estará no Brasil, a convite do Instituto Arapoty e daUnipaz, em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. se reunirá com tradições indígenas, africanas, religiões ocidentais e movimentos espiritualistas. O propósito maior é difundir a paz de espírito e fortalecer a fé e a confiança em um mundo melhor.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A espiritualidade da natureza

A espiritualidade não é um movimento e nem uma ideologia. Não é uma teoria criada por alguém. Também não é privilégio de alguns. Embora não seja reconhecida por inúmeras pessoas.  A espiritualidade é um princípio universal que está na base da sabedoria humana. Ao longo da presença de diversas culturas pelo mundo desde épocas imemoriais ela tem estado presente em sistemas de conhecimento, filosofias, cosmovisões, memórias, etc. A mais antiga noção de espírito e de espiritualidade vem da natureza. Ela foi e é a inspiradora do reconhecimento e do desvendamento do mistério que somos. Nesse sentido as culturas que se formaram com laços fortemente traçados com a natureza desenvolveram uma espiritualidade e uma visão de espirito de extrema poesia e integração. Uma das culturas que se expressou de um modo agudo e profundo essa relação do espírito com a natureza foi a tradição tupi. Umas das mais antigas raízes culturais do Brasil.  A tradição tupi tem mais de 12.000 anos de presença na face …

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena