Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril 5, 2015

Envolvimento Sustentável

O Brasil é o país da diversidade cultural, hoje e também muito anterior á sua fundação. Esta multiplicidade de culturas milenares que por aqui habitavam desenvolveram modos de vida peculiares, mas havia em comum o fato de que levava em consideração uma relação econômica mediada por crenças e valores ligados aos respectivos ecossistemas por onde circulavam. Entre os principais valores, destaco: a consideração do ambiente como entidade viva e a utilização de seus recursos com parcimônia, consciência de manejo e cuidado. Podemos denominar este sistema econômico de “economia do cuidado”. Atualmente, esta diversidade específica, espalhada por todo o Brasil e tantas outras diversidades de origens; divide-se em três dimensões, além da sua multiplicidade étnica: as culturas isoladas, que permanecem respectivamente nos seus modos de vida tradicionais; as culturas aldeadas, mas que interagem com a sociedade não indígena em diversos níveis, procurando assimilar também seus códigos de conheciment…

Qualidade de vida

Frequentemente ouvimos a expressão "qualidade de vida" nos mais diversos setores da sociedade e nas mais diversas origens de pessoas. É uma coisa que todos querem. É uma palavra que cai bem em muitos tipos de discursos. No entanto, o que é qualidade de vida para uns, pode não ser o mesmo para outros. Tem gente que associa qualidade de vida com mansões, iates e milhões na conta, mesmo se isto for resultado de atividades ilícitas, ou as custas de exploração inconsequente da natureza.  No entanto tem gente que associa qualidade de vida á um encadeamento de relações de equilíbrio social, ambiental, econômico e pessoal. São pessoas que reconhecem que a vida é um encadeamento de relações e que existe uma interdependência entre elas. São pessoas que sabem que uma atitude pessoal reflete em seu grupo familiar, social, e na comunidade maior a qual estamos todos inseridos.  Aprendi com este segundo tipo de pessoas que qualidade de vida deve levar em consideração quatro tipos de cuida…

Envolvimento Sustentável

VIVA AS MULHERES INDÍGENAS! RESILIÊNCIA E CONQUISTAS

Este ano está sendo muito difícil para a questão indígena no Brasil. Na câmara federal sucessivas tentativas de aprovar uma lei que transfere a responsabilidade de demarcação de terras do poder executivo para o poder legislativo, que tem na maioria de sua composição deputados contrários aos povos indígenas,  á diversidade e a idéia de preservação de florestas.  Os meios de comunicação de modo geral insistem em transmitir fragmentos desta diversidade cultural que estimula ainda mais o preconceito e a visão de que são culturas ignorantes e cheias de crendices; quando dá ênfase nas flechas atiradas contra a polícia em manifestações de defesa de seus interesses, quando fala sobre a obstrução de estradas no norte do país por parte de algumas etnias mas não explica que é um ato de resistência política, quando enfatiza as imagens das etnias isoladas que respondem com desconfiança e susto as tentativas de aproximação da chamada civilização.  A mídia não aprofunda o fato de que por trás pressã…

A TRAJETÓRIA DE KAKÁ WERÁ

Kaká nasceu na cidade de São Paulo. Seus pais pertenciam aos povos Kaitité (pai) e Kaxixó (mãe), já desaldeados, trabalhadores rurais, ou caipiras da roça. Migraram de Minas Gerais, onde viviam, de uma região  na cidade de Montes Claros e foram morar em São Paulo, na zona sul da metrópole próximo a uma aldeia guarani nos anos sessenta.Alguns antropólogos afirmam que sua origem é kaiapó,pois observaram que determinados subgrupos fazem parte deste tronco linguístico; no entanto os povos que habitavam a região de origem de seus pais eram chamados genericamente de tapuias, um termo que abrange inúmeras etnias.  No início da década de 80, a terra dos guarani, vizinhos da família de Kaká, passava por um processo de luta por demarcação, foi quando ele voluntariamente passou a participar da realidade da comunidade guarani, buscando apoios para seus propósitos, através da sensibilização da opinião pública e tecendo relações importantes com objetivo de fortalecer a comunidade, pois pelo fato de …

Água não é negócio, é um bem comum.

Lembro-me que em 2001 comecei, com o apoio e a parceria de Danielle Mitterrand, uma série de atividades que incluia seminários, publicações, palestras, com o propósito de difundir a importância de lidar com a água com responsabilidade, cuidado, e garanti-la como um direito de todos. Para isso haveria basicamente a necessidade de realizarmos três procedimentos: não desperdiça-la, despolui-la através de estações de tratamento apropriadas, e considera-la como um bem comum ao invés de negócio.  Foram anos de trabalho, circulando alguns estados do Brasil e também da França, a partir da Fundacion France Libertes, falando em diversos espaços institucionais nas mais diversas situações. E incrivelmente recebiamos mais atenção na Europa, onde a escassez é grande, do que no Brasil, onde rios e cachoeiras abundam.  Recentemente, quando tive a oportunidade de ser candidato ao senado pelo estado de São Paulo pelo Partido Verde, retomei a ladainha das águas pois estávamos no início de uma grande cr…