Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 18, 2015

Viver com que propósito?

Quando conheci o cacique Davi Yanomami no fim dos anos 1980, em São Paulo, na Embaixada dos Povos da Floresta; foi para refletir e buscar soluções para uma série de problemas: ele revelou que pessoas invadiam a Amazônia em busca de ouro, outras pirateavam o patrimônio genético em nome da ciência e outros ainda invadiam territórios de povos milenares da região, como foi o caso dos próprios Yanomami.  Ele dizia que não entendia muito bem qual o sentido que o estrangeiro dava á vida, uma vez que não respeitava nem a do seu semelhante que expressa uma cultura diferente e nem a dos reinos da floresta, pois extraiam vegetação, minerais e mudavam cursos de rios de uma forma gananciosa e perigosa para a floresta e para a comunidade humana.  Para o povo yanomami, o propósito de vida  é manter o céu em cima e a terra embaixo, deixando um espaço entre o céu e a terra, onde os seres livres mas com espírito de celebração, pudessem expressar contentamento e gratidão pela vida que constrói uma coluna …

OEA COBRA BRASIL POR VIOLENCIA CONTRA INDIOS

João Fellet - @joaofelletDa BBC Brasil em São Paulo
Image copyrightReutersImage captionQuase 400 índios guarani kaiowá foram assassinados no Mato Grosso do Sul nos últimos 12 anos, segundo dados do Cimi Membros da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) questionaram o governo brasileiro sobre o que tem sido feito para prevenir e punir crimes contra índios no Mato Grosso do Sul. Representantes da CIDH – braço da Organização dos Estados Americanos (OEA) – também pediram ao Brasil informações sobre denúncias de violações de direitos humanos na terra indígena Raposa/Serra do Sol, em Roraima.

Mulher líder guarani de Santa Catarina e aldeia são ameaçados.

Desconhecido invade TI Morro dos Cavalos, dispara em escola e casas e ameaça de morte a cacica Eunice AntunesInserido por: Administrador em 20/10/2015.
Fonte da notícia:Cimi Regional Sul, equipe Florianópolis Na madrugada de ontem (19/10) a cacica da comunidade Guarani da Terra Indígena (TI) Morro dos Cavalos, município de Palhoça, em Santa Catarina, sofreu o sexto atentado deste ano. Uma pessoa disparou dez vezes contra a escola e as casas que ficam no seu entorno. Com a arma em uma mão e uma lanterna na outra, o desconhecido cruzou, caminhando, a passarela sobre a BR 101 que corta a terra indígena. Se não bastassem os tiros, gritou palavrões contra os Guarani e prometeu matar a cacica Kerexu Yxapyry (Eunice Antunes). Alguns Guarani que moram próximo à escola chegaram a sair de suas casas para ver o que estava acontecendo, e o invasor apontou a lanterna em direção a eles e atirou. Os indígenas, com medo dos disparos, retornaram para suas casas, mas continuaram observando de dentro das …