Pular para o conteúdo principal

CURSO: O SONHO COMO UM SISTEMA DE AUTOCONHECIMENTO

Neste momento de crise social e de transformação planetária muitos de nós abandonamos o poder de ousar sonhar novas realidades, realizações e possibilidades. Este módulo de quatro encontros tem como proposta apresentar um conhecimento e um sistema de práticas sobre os estados de sono, sonho e vigília que tem sua origem em sabedorias ancestrais.
Passamos um terço de nossas vidas dormindo. No entanto podemos usar este estado á nosso favor e de várias maneiras. Podemos utilizar o sonho para nos curar, para liberar obstáculos inconscientes que travam o fluxo de nossas vidas, e também para nos conhecermos melhor e mais profundamente.
Algumas culturas indígenas do Brasil obtiveram grandes conhecimentos através do domínio dos sonhos. O budismo tibetano desenvolveu um complexo sistema meditativo utilizando o sonho como uma estratégia para o autoconhecimento, auto-liderança e iluminação
Programa:
·         Os três estados da consciência: inconsciente, consciente e supra-consciente     segundo os Kahuna e a tradição Tupy. 
·         As quatro dimensões do sonho segundo a tradição Tupy
·         Os sonhos de cura e purificação segundo os Krahô.
·         Os sonhos lúcidos segundo a tradição tibetana 
·         Práticas meditativas entre o sono e o sonho para autocura e integração consciencional.
·         Os sonhos lúcidos para liberar crenças limitantes e obstáculos subconsciente

·         O sonho lúcido para realização de um projeto.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOSSAS RAÍZES PRECISAM SER RESPEITADAS

Kaká Werá fala sobre a questão indígena

Quatro atitudes de paz que nos tornam ricos

Não sabemos muitas vezes definir a palavra paz, mas quando a ouvimos, algo de bom ressoa em nossos corações. Onde há paz, há riqueza em todas as suas dimensões: social, econômica, ecológica, e pessoal.  Mas embora seja difícil definí-la, podemos pelo menos refletir sobre o que nos põe fora dela e o que nos aproxima, integrando-a. Na sabedoria ancestral são reconhecidas quatro atitudes que nos distancia de sua luz : A primeira atitude que a torna longe de nossa presença pacífica é a ideia de separatividade. Os mestres de sabedoria ensinam que somos uma só vida desdobrada em muitos, que embora tenhamos uma individualidade, em essência somos uma mesma respiração desa Vida. Mas criamos de nossas individualidades segregações, visões de mundo e sobre nós mesmos  que geraram conflitos diversos, que tem trazido desde tempos imemoriais toda sorte e graus de dificuldades nos relacionamentos e convivências. A  segunda atitude que nos distancia da paz é aquele aspecto julgador que habita em cada…